O Valor da Evangelização nos Grupos Pequenos

“Então, Jesus aproximou-se deles e disse: “Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu ordenei a vocês. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”. Mateus 28.18-20 Essa é a missão, o mandato, o chamado de todos os cristãos. Aygo simples de entender, mas que demanda obediência e dedicação para se cumprir. Jesus disse: façam discípulos, batizando-os e ensinando-os. Isso denota uma caminhada, um processo, o qual só irá existir por meio de relacionamentos. E sem dúvidas, o GP (Grupo Pequeno) é melhor lugar para se desenvolver este. É o lugar para se conectar. Acredito que o primeiro pensamento que devemos ter antes de convidar alguém para um grupo pequeno é se colocar no lugar da pessoa que está sendo convidada. O que faria você visitar um grupo de pessoas que você não conhece? Como você gostaria de ser recebido? Que tipos de conversas você gostaria de ter, como seria importante se sentir acolhido e segura naquele lugar. Pense em todos os detalhes importantes que muitas vezes são esquecidos pelas preocupações adversas. Gostaria de compartilhar um exemplo de um dos grupos pequenos da minha supervisão. Este grupo reservou um pequeno e aconchegante salão de festas. Cada integrante do grupo fez um prato de comida, podíamos ver a dedicação das coisas nos detalhes. Os membros do grupo combinaram de não se sentarem juntos, mas que cada um estaria em uma mesa juntamente com as suas visitas ou interagindo com os convidados. A abordagem do convite foi da seguinte forma: “vamos ter um café entre amigos e cada um poderá convidar alguns amigos que sejam especiais. E eu gostaria de convidar você para ir comigo. Terá um momento de música é um bate papo”. Foi o que aconteceu, após cantarem duas músicas, algumas pessoas do grupo levantaram e testemunharam como o grupo pequeno era importante na vida delas. E deu super certo! Inclusive o esposo de uma das moças que não era convertido hoje está envolvido em grupos pequenos (como facilitador em treinamento) e em outras atividades. Este é apenas um exemplo, mas extraindo alguns princípios vemos que tudo aquilo que é feito com carinho e dedicação dá frutos. O fato de olharmos para alguém e mostrarmos que realmente nos importamos com aquela pessoa dedicando tempo e atenção pode resultar em salvação eterna. Jesus disse para “Negar-se a si mesmo“. Se não temos entendimento deste trecho bíblico dificilmente iremos conseguir ganhar pessoas para Jesus. É preciso desprendimento de celulares, televisão e tantas outras distrações. Precisamos “parar por um“. Jesus é o exemplo claro disso. Ele parou por uma pessoa em meio a multidão para curar, isso promoveu fé em Jesus e resultou em salvação para muitos. Se eu fosse uma visita em um grupo pequeno de uma igreja e não fosse convertido a minha expectativa seria a de ver Jesus na vida daquelas pessoas. Gostaria de encontrar um lugar onde pudesse compartilhar as minhas dificuldades e pudesse receber algo de Deus através da oração. Os crentes pensam que podem fazer eventos evangelísticos sem falar o nome JESUS. Permita discordar disso um pouco.  Afinal, as pessoas vão ao cinema para ver filmes? Ao shopping para comprar roupas? E em mercados para fazerem compras? Se alguém está disposto a ir em um grupo pequeno onde se fala de Jesus. Ela de fato está aberto para conhecê-Yo. Minha expectativa também estaria em me sentir amado. O pensamento geral é “O mundo está cheio de maldades e talvez dentro da igreja eu encontre o amor”. Talvez você pense que isto é algo fácil dentro de um grupo. Mas na verdade este um grande desafio. As pessoas da igreja são tão ciumentas e pecadoras como os de fora da igreja. Somos todos pecadores. “Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus“. Enfim, o nosso com foco precisa estar em entendermos que somos todos iguais e que precisamos do amor de Deus para amar, do Espírito Santo para nos arrepender dos nossos pecados. E que não somos superiores aquelas pessoas que não se entregaram ao amor de Jesus. Nosso foco precisa mudar. Precisamos olhar as pessoas como pedras preciosas que precisam ser levadas até a Coroa. Percebo que a vaidade nos impede de cumprir o mais básico do Evangelho. Se o foco está em nós mesmos, não está nos outros. Se o foco está em acumular dinheiro, não estará em ajudar aos pobres. Se o foco está nas preocupações do nosso dia-a-dia não teremos tempo para os outros. Acredito que existe a boa vontade de Deus e que exista a perfeita vontade de Deus. Muitas vezes corremos atrás de coisas que são “boas”. É bom que eu seja feliz, é bom que eu tenha algumas posses. Mas qual é a vontade perfeita de Deus? O foco está no outro sempre. “Quem tem os meus mandamentos e lhes obedece, esse é o que me ama. Aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me revelarei a ele”. João 14:21
CARLOS NÁPOLI VIEIRA (CARLINHOS)

CARLOS NÁPOLI VIEIRA (CARLINHOS)

Pastor de jovens @altafrequenciacwb, dirigente de louvor e supervisor de Grupos Pequenos na Primeira IEQ. Marido da Suelen e pai das gêmeas Alice e Ana. Compositor e vocalista na @indeleveloficial. Um dos líderes do GKPN Youth e da Semana de Avivamento (SDA). Graduado em Engenharia Ambiental pela UNESC e pós-graduado em Engenharia de Segurança do Trabalho pela UTFPR. Bacharel em Teologia pelo CVQ.

A Boa Notícia

Qual é a melhor notícia que uma pessoa pode receber?

A resposta positiva de um pedido de casamento, o nascimento de um filho, a cura de uma doença ou o livramento de uma pessoa querida em um acidente?

Sem dúvida, estas informações podem ser muito especiais, no entanto, a mais maravilhosa notícia, está registrada na Bíblia, a carta de Deus aos homens. O texto áureo, que a resume de forma magistral, afirma: “… Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16)

Esta é a notícia das notícias! Deus nos amou de uma maneira inexplicável, a ponto de entregar Seu próprio Filho para nossa salvação. Isto ocorreu devido ao fato de que todos estávamos separados do Criador por causa de nossos pecados. O próprio Deus tomou providências para que o homem retornasse à comunhão com Ele, por meio de um novo e vivo caminho, que foi aberto com o sangue derramado do Seu Filho!

As Boas Notícias messiânicas começaram com a pregação de João Batista, cuja missão era preparar o caminho para o Messias. Quando Jesus foi até Ele para ser batizado, João declarou: “… Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” (João 1:29)

Após Sua ressurreição, o próprio Jesus falou às mulheres no jardim:

“… ide dizer a meus irmãos que vão à Galileia, e lá me verão.” (Mateus 28:10)

A Boa Notícia de Sua ressurreição precisava ser anunciada!

Ao despedir-se e ascender aos céus, Jesus encarregou Seus discípulos de realizar Sua obra e levar as Boas Notícias de Salvação para todo o mundo.

Michael Green afirma: “Aquele que veio pregando as Boas Novas passou a ser o conteúdo das Boas Novas. Agora os discípulos só tinham um tema central: JESUS. Concentravam-se nEle acima de tudo! O significado supremo de “evangelho” é boas notícias sobre Jesus.”

Essa Boa Notícia, que traz a mensagem de libertação, é um convite para o alívio de nossas cargas.

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.” (Mateus 11:28,29)

Essa Boa Notícia, que traz um anúncio de vida, é um convite a receber, por meio de Cristo, uma vida completa.

“O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.” (João 10:10)

Essa Boa Notícia, que traz a mensagem de perdão para o pecador, é um chamado ao arrependimento.

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” (I João 1:9)

A Boa Notícia é que todo aquele que nEle crê tem a redenção! A cruz vazia é a expressão viva dessa poderosa notícia. Jesus morreu e ressuscitou! Essas são as boas novas de salvação.

O apóstolo João também afirma: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus…” (João 1:12)

Eis a maravilhosa mensagem para os que creem em Cristo: A transformação de pecadores condenados em filhos restaurados!

O que se faz com uma boa notícia? Ela deve ser compartilhada, publicada, espalhada e anunciada.

Como os discípulos da primeira geração compartilharam a maravilhosa notícia com outras pessoas que não conheceram Jesus pessoalmente?

Eles deram o seu testemunho, expressando sua fé em Cristo, e contaram como as verdades proclamadas por Ele transformaram sua vida.

Hoje, aqueles que recebem Cristo em sua vida são também transformados em anunciadores das notícias de salvação, porque quando algo muito bom nos acontece queremos compartilhar com outras pessoas. Nós temos a missão que Jesus nos deixou quando ascendeu aos céus: “… sejam minhas testemunhas…”. (Atos 1:8a)

Cristo espera que Seu povo anuncie essa sublime notícia a tempo e a fora de tempo, em todos os lugares e a todas as pessoas.

Deus se importa conosco, Ele nos quer e ama profundamente. Jesus é a expressão visível desta maravilhosa graça, o único Caminho, a Verdade e a Vida. Receba-o em seu coração e creia unicamente nEle. Ele transformará sua vida e você se tornará um mensageiro apaixonado da mais bela e poderosa mensagem que alguém poderia anunciar!

Jane Camargo

Jane Camargo

Pastora auxiliar da Primeira Igreja do Evangelho Quadrangular de Curitiba, bacharel em teologia, pedagoga, pÛs-graduada em lideranÁa e pastoreio. LÌder do MinistÈrio de Evangelismo Infantil, Intercess„o e de gestora de missıes. LÌder nacional do projeto Amai, MUC e coordenadora de treinamentos da SGM.

O Evangélio é simples

O Evangelho é simples

“Chamando uma criança, colocou-a no meio deles,
Portanto, quem se faz humilde como esta criança, este é o maior no Reino dos céus.”
Mateus 18:2, 4 NVI

Uma criança não faz acepção de cor, raça, deficiência física ou mental. Para elas, todos são iguais e todos são tratados da mesma forma.
O Evangelho simples e claro na mente de uma criança flui em conversas cotidianas, onde os corações são desprovidos da indiferença e da vergonha de falarem o que pensam e o que não entendem.

Lembro-me que algum tempo atrás, minha fiha Alice (4 anos) veio muito triste dizer: “mamãe, o Lucas (amigo da escola) não vai pro céu! Ele não fala com Jesus, ele não ora. Eu disse pro Lucas que só vai morar no castelo de Jesus quem for amigo Dele. Falei que quem não mora no céu com Jesus vai morar dentro do vulcão de lava”. A frustração no rosto dela refletia a imaginação no que aconteceria com o amigo. Naquele momento, notei que o conhecimento da teologia simplificada na vida de uma criança traz reflexos de uma sensibilidade genuína ao coração quanto as verdades bíblicas. E percebi, então, que Alice precisava de novas orientações, uma delas era que precisava explicar para o Lucas que ee poderia sim ir para o céu e se tornar amigo de Jesus, bastava ele iniciar pequenas conversas com Jesus durante o dia e antes de dormir e convidar Jesus para morar no coração dele. Foi apenas uma semente plantada na vida do Lucas que ainda hoje precisa ser regada com a oração. Pequenas atitudes como essas podem tornam filhos missionários onde estiverem.

“Instrua a criança segundo os objetivos que você tem para ela, e mesmo com o passar dos anos não se desviará deles.” Provérbios 22:6 NVI

Em minhas conversas com as minhas filhas Alice e Ana, procuro não subestimá-las quanto ao entendimento que possam ter sobre certos assuntos, principalmente quando se diz respeito a pessoa de Jesus, o plano de salvação e quanto a responsabilidade de amá-lo e obedece-lo.

A primeira vez que contei que Jesus tinha super poderes e que poderia andar sobre as águas. Tive um “insight” e coloquei uma imagem na televisão de um mar cristalino, com uma cachoeira e lindas montanhas ao redor. Então disse “olhem esta imagem, imaginem Jesus vindo, caminhando sobre as águas até vocês e dando um abraço bem gostoso, depois disso, ele convida vocês para andarem e correrem sobre as águas. Uma simples brincadeira como esta, promove a fé, o relacionamento e o conhecimento bíblico aplicado. Não demorou muito para que elas começassem a falar para as pessoas “você sabia que para andar sobre as águas você precisa estar de mãos dadas com Jesus!?”

O compromisso da devocional e a inserções da palavra de Deus em meio aos conflitos diários dos pequenos se tornam um reflexo de uma conversa da criança com qualquer pessoa e em qualquer lugar.
Da mesma forma que um arquiteto ao projetar um prédio se preocupa com os alicerces da fundação de uma construção, de igual forma os pais devem fundamentar os alicerces cristãos em seus filhos. Deixando cada vez mais claro o “ Plano de salvação” Mas que alicerces são esses?

 

Suelen Reinert Vieira (Su)

Suelen Reinert Vieira (Su)

pastora auxiliar na Primeira IEQ, líder do ministério de jovens @altafrequenciacwb, dirigente de louvor. Esposa do pastor Carlos Nápoli e mãe das gêmeas Alice e Ana. Compositora e vocalista da banda @indeleveloficial. Graduada pela (EMBAP) Escola de Música e Belas Artes do Paraná em licenciatura em música e também em Formação musical em canto lírico(EMBAP). Formada em teologia CVQ (Centro Vocacional Quadrangular).

DIÁSPORA CRISTÃ

Como a saída dos cristãos de Jerusalém no Século Primeiro, influenciou o mundo?

Num sentido mais restrito, as Boas Novas (evangelho), trazem ao indivíduo sensação de prazer, pois, afinal quem gosta de receber más notícias? Num sentido mais amplo, a comissão de Deus por intermédio de Seu Filho, traria a quem a ouvisse o êxtase da certeza de que tudo é muito maior do que a vida passageira dessa Terra. A esperança e a certeza de mãos dadas e impressas nas palavras do mestre Jesus, alcançaria o momento, local e a vida nesse planeta em épocas distantes.

Pensais que é à-toa que o calendário fixa o nosso tempo em antes e depois de Cristo? A ordem de Cristo em MT 28: 19 encontra paralelo no que Ele falou ainda no céu, e deixou registrado em Jeremias 1: 7,8.

Portanto, como ficar em um lugar se Deus queria a verdade divulgada em todos os continentes? A perseguição perpetrada contra os recém convertidos ao Cristianismo pelos líderes judaicos e pelo Império Romano, desencadeou a saída dos cristãos para o mundo (diáspora cristã), e, o consequente cumprimento da Vontade Divina: At 1:8 “… e ser-me-eis testemunhas em toda a Judéia…”. Através do principal evangelista (Paulo), o evangelho e a Graça de Deus chegaram ao ocidente, ao novo mundo, e por outros à Ásia leste, Oceania e África.

A Verdade trouxe e traz transformações em todas as áreas físicas e humanas. Influenciou a arte, agricultura, comunicação, transporte, desenvolvimento relacional entre povos, ciência, economia entre outras.

Não se trata de olhar o mundo no estágio atual sob a ótica apenas da história. Povos nos quais Cristo estava presente, o binômio social/ciência, deu passos largos em contraposição, por exemplo, ao período da chamada “noite dos dez séculos”.

ONDE DEUS ESTÁ, PROSPERIDADE HÁ!

Boas Novas levam alegria e paz extensíveis à eternidade.

O Cristianismo partindo do Oriente médio atinge o mundo ocidental, promovendo desenvolvimento artístico, com o renascimento; desenvolvimento tecnológico com a revolução industrial, econômico com o descobrimento dos continentes, exploração do solo e comércio internacional.

Forçoso nos é pensar que tais atividades já eram desenvolvidas desde a época do GÊNESIS, entretanto, numa escala praticamente manual até o século XIV. Hoje a economia está encravada no “mundo globalizado”. Porém, tudo o que acontece nele está debaixo do controle de Deus, inclusive os desmandos gerados pelo próprio homem que já está pagando o preço pelos mesmos. 2 Cr 7: 14 – Deus sara a terra, pelo cumprimento das condições ali mencionadas.

As variantes econômicas dos setores primário (indústria), secundário (comércio) e terciário (serviços), dependem da Graça de Deus, que é quem dá a chuva, o solo, controla clima e concede riquezas, MT 5: 45. Ele, contudo, opera em corações abertos para Ele. Infelizmente o afastamento de Deus conduz pessoas, grupos, países, ao objetivo único do ganho de riquezas desmedidamente, causando escravidão aos próprios cidadãos, humilhação, fome, pobreza e destruição do meio ambiente.

“Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que Ele escolheu para Sua herança.” Sl 33: 12.

Ao homem foi dado gerir o planeta, que é um bem de Deus e necessário para a vida desse mesmo homem, para fazê-lo de forma adequada, Divina, e assim experimentar a explosão de arte do Deus Criador em todas as suas formas.

Há economias no mundo extremamente abastadas, resultantes das verdades divinas aceitas e absorvidas, e por isso Deus abençoou. Outras são prósperas porque são vindas de culturas antigas e pautadas em princípios do bem e respeito. Outras há em que Deus não achou lugar e assim enfrentam dificuldades extremas.

É INEGÁVEL, BOAS NOVAS SÃO TRANSFORMADORAS!

A mensagem de Deus continua a ser a mesma: “… Amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei”- JO 15: 12. É dever cristão levar a Verdade para que todos nesse planeta experimentem qual a diferença entre os que servem a Deus e os que não servem a Deus – Ml 3: 18.

Essa Verdade é para todas as nações, territórios, enclaves, ilhas em toda a Terra. JO 18: 37. Deus quer abençoar as pessoas e nações, mas o fará à medida que esses se voltam para Ele e colocam Jesus como Seu Salvador. Para aqueles que se opõe a Jesus conforme bem menciona o Sl 2, receberão a afronta de Deus e … “e lhes falará na Sua ira e no Seu furor os confundirá…”. Deus opera a Sua justiça para o bem ou o mal, contudo a Sua justiça é sempre fiel. A percepção desse bem e mal é do homem.   

A Paz de Deus, Salvação e prosperidade em Jesus Cristo a todos os povos; a “DIÁSPORA” continua.

João Luiz Cavichiolo

João Luiz Cavichiolo

Bacharel em administração de empresas e gestão pública pela UFPR, obreiro credenciado desde 1976, professor do CVQ (Centro Vocacional Quadrangular) por 29 anos nas cadeiras de pentateuco e panorama bíblio, professor da Escola Bíblica da Primeira IEQ Curitiba há 46 anos, casado com Norma Luiza Lau Cavichiolo, pai de quatro filhos e avô de cinco netos.

Poupar é importante

  A importância de poupar em tempos difíceis!

Inversão de prioridades no orçamento pessoal, gastar mais que do que se ganha, gastos desnecessários com o supérfluo e um excesso de consumismo com a moda e outras demandas que parecem ser necessidade podem gerar situações constrangedoras. Diz-se que “o estresse da vida moderna é o resultado de pessoas que andam estressadas demais porque compram o que não precisam, com um dinheiro que não têm, para mostrar o que possuem a quem não gostam”.

No Brasil, há 60 milhões de consumidores que estão endividados. Segundo SPC o (Serviço de Proteção ao Crédito), as despesas com juros têm levado nossa população à inadimplência.

Diante desse cenário, seguem algumas dicas de como administrar melhor o seu dinheiro obtido com muito esforço.

  1. Planeje os gastos: de nada adianta saber o quanto se ganha se não sabe o quanto se gasta.
  2. Evite dívidas desnecessárias: principalmente com os cartões de crédito e limites bancários.
  3. Não empreste e nem pegue dinheiro emprestado. Procure não ser avalista.
  4. Fique atento para não fazer negócios ilegais, por exemplo: jogos de azar, pois o sustento do homem vem de Deus, e o meio definido pelo Senhor para obtê-lo é o trabalho.
  5. Antes de ir ao supermercado, faça uma lista do que realmente precisa ser consumido.
  6. Planeje com antecedência a obtenção de bens maiores, mais valiosos.
  7. Sempre compare os preços antes de sair as compras. Não realize compras a prazo sem calcular os juros.
  8. Zele pela economia doméstica, cuidando para que nada seja desperdiçado. No Evangelho de João, capítulo 6, comenta-se a multiplicação realizada por Jesus, ocasião em que ele tinha em mãos apenas dois peixes e 5 pães. No versículo 12, Jesus disse aos discípulos: “Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca”, o resultado das sobras recolhida foram 12 cestos.

Temos aqui um princípio importante ensinado pelo mestre, guardar hoje para não faltar amanhã. Por meio dessa passagem, de certa forma Jesus também nos ensina a economizar. Poupar em tempos difíceis é uma disciplina um tanto complicada para algumas pessoas, mas, se houver empenho, o ato de poupar pode se revelar em ser um estilo de vida que tornará essa área muito mais tranquila e prazerosa na medida ideal.

Lembro-me de quando entreguei para as minhas filhas cofrinhos do tipo porquinho, e as motivei a poupar e economizar agora para não faltar mais tarde. Tenho satisfação, pois percebo que elas aprenderam a boa lição e vivem em padrão de vida equilibrado, não ultrapassam os limites de suas posses. Não há ostentação, pois elas sabem dar cada passo de acordo com os limites de segurança e tranquilidade.

Poupar implica manter os pés no chão. Provérbios 14:15 enfatiza: “ O inexperiente acredita em qualquer coisa, mas o homem prudente vê bem onde pisa “, ou seja, seus passos são guiados de forma a não crer apenas nas promessas e equívocos da economia do país.

Ainda em Provérbios, podemos conferir: “Há quem dê generosamente e veja aumentar suas riquezas; outros retêm o que deveriam dar e caem no problema” – (Provérbios 11:24). Dar, contribuir e ser generoso ao próximo é uma prática do cristão autêntico, porém economizar é uma atitude inteligente, similar a plantar e esperar para colher e, depois, celebrar a boa colheita.

Diante disso, importa um alerta: dívidas podem ser resolvidas com disciplina e equilíbrio nos gastos. Precisando de ajuda, prefira pedir conselhos de pessoas sérias e especializadas no assunto, mas procure não depender de outros para continuar a viver.

Poupemos e coloquemos em prática as palavras do nosso maior exemplo; Jesus Cristo – “onde estiver o seu tesouro ali estará seu coração”. Façamos uso do dinheiro sem que sejamos por ele dominados, pois a falta ou o excesso dele podem sinalizar problemas nesse trato. Vamos usá-lo com sabedoria, consumir o que é necessário e, com um coração voluntário, vamos investir em tempo oportuno em uma obra maior: o Reino de Deus.

Pr Josmar Prussak

Pr Josmar Prussak

Pastor auxiliar em tempo integral, desde 2001, membro do Comitê Administrativo e do Conselho Diretor Local, Administrador do CETE - Centro de Estudos e Treinamento Esperança, Gestor de Ministérios da Primeira IEQ. Graduado em administração de empresas pela faculdade OPET, casado com a pastora Magda Prussak, é pai de Andrielli e Amanda e avô de três preciosidades: Kauê, Marcelo e Agnes.

Contando histórias para mudar vidas

Ao iniciar nossa jornada através deste tema tão especial, gostaria de fazer uma reflexão com você. Pensemos juntos em uma situação hipotética:

No um fim de ano de muito trabalho, no qual você teve muitas conquistas e perdas, você se reúne com sua família e amigos –  as pessoas que você mais ama e  que fazem todas as suas lutas valerem a pena. Em um ambiente de amor, a fraternidade está no ar. As crianças estão correndo e brincando, os adultos conversando e rindo dos memes da vida; um momento incrível. E, você alí, feliz por estar cercado por pessoas tão especiais. Mas, algo inesperado acontece, você sente um calor preencher seu peito, um arrepio subindo pelas costas, e uma voz doce e amável fala com você. O mais incrível é que esta voz não é ouvida apenas pelos seus ouvidos, mas você a sente dentro de si mesmo, uma sensação de paz e amor que te faz sentir-se completo.

Então, essa voz lhe diz que em alguns minutos o seu Pai vai lhe levar para o céu, que toda sua jornada de lutas aqui na terra iria terminar e uma eternidade de plenitude e paz estaria adiante, e você tem uma oportunidade especial de dizer algo que marque a vida dos seus amados antes da sua partida, qual seria o tema?

Você cogitaria dizer coisas triviais como, ‘o boleto que vence segunda’? ‘a água está no fogão’? ‘quero ser enterrado com uma camisa azul’?

Certamente não. As palavras seriam escolhidas com cuidado, e o conteúdo selecionado para gerar o maior impacto nas vidas deles, de forma a abençoá-los.

Em uma situação bastante semelhante a desta história,, Jesus, antes de ser crucificado,  entregou para seus discípulos a orientação contida no texto de Marcos 16.15 que diz, “Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas”.

Tenha em mente que esta era uma mensagem escolhida com carinho por Jesus para seus amados em seus últimos momentos com eles. Algo que ele valorizava muito e que certamente impactaria a vida deles e a história da humanidade.

Olhando para este desafio, percebemos que Jesus nos dá a missão de falar dele para TODAS as pessoas do mundo!

 

Agora, precisamos entender que vamos nos comunicar com pessoas muito diferentes, com percepções e históricos singulares, logo, a forma que transmitiremos os conteúdos bíblicos impactarão diretamente na qualidade da compreensão destas pessoas.

Para abreviar nossa caminhada nesta matéria, gostaria de apresentar dois estilos de aprendizagem que podem ser considerados na comunicação do evangelho.

  • Abstrato, que é feito através da transmissão direta de teorias, conceitos e idéias.
  • Concreto, feito por meio de histórias, testemunhos e parábolas.

Ambas as formas são importantes e precisam ser usadas, porém, estima-se que 80% da população ocidental tem maior facilidade na absorção do estilo concreto, logo, precisamos dar uma atenção especial a esta forma de aprendizagem.

Contar histórias e exemplos para explicar conhecimentos profundos não é algo originado na sociedade moderna, na bíblia vemos Jesus usando parábolas para contextualizar conceitos extremamente profundos que, de outra forma, possivelmente não seriam entendidos.

Gostaria de encorajá-lo a viver a missão de Jesus e falar Dele para todas as pessoas, entretanto sempre tendo um cuidado especial na forma de comunicação afim de que eles realmente consigam compreender a mensagem. Histórias e testemunhos bem transmitidos podem ajudar a conquistar pessoas para Jesus que, através das teorias e mensagens diretas, não compreenderiam o valor do presente que você está lhes oferecendo.

Rodrigo Leandro Kuster Alves

Rodrigo Leandro Kuster Alves

Pastor auxiliar na Primeira IEQ, líder do ministério de adolescentes @madieq. Esposo da Tabea Alves e pai do Kalel. Gestor na empresa Crossby Comunicação e Marketing. Graduado em teologia pela Faculdade evangélica do Paraná e em marketing pela Universidade Positivo. Pós graduado em Inteligência de negócios pela Faculdade Opet.

Thieboudienne (Arroz com Peixe)

Simone Chen trabalhou nove anos como pastora em tempo Integral na Primeira IEQ e depois foi enviada para África como missionária. Depois de seis anos trabalhando em Moçambique ,conheceu seu marido, pastor Fabio. Hoje, com dois filhos, Davi e Gabriel , faz dezesseis anos que apastora Simone vive na África e, nos últimos oito anos tem servido juntamente com sua família no Oeste da África /Senegal. Durante estes anos aprendeu a fazer vários pratos Africanos, inclusive o Thieboudienne.
Como no Brasil, o prato mais clássico é o arroz e feijão, no Senegal, a paixão é pelo Thieboudienne. O nome significa literalmente “arroz com peixe” na língua do país, o Wolof. Este é prato do dia em qualquer restaurante, do mais simples aos mais refinados. E, dentro das casas, é servido à moda senegalesa: em um grande prato em comum, onde todos comem juntos e com as mãos.

RECEITA
Para 4 pessoas
Tempo de preparo: 30 min
Tempo de cozimento: 1h

Ingredientes:

3 xícaras de arroz
4 filés de peixe
3 tomates frescos (molho)
3 colheres de sopa de extrato de tomate
1 ramo de salsa
1 cenoura grande, descascada e em pedaços médios
2 mandiocas, descascadas e picadas
1 cebola grande picada
4 dentes de alho finamente picados
2 berinjelas pequenas
1 repolho pequeno, cortado em quatro partes
200 ml de óleo de amendoim
2 cubo de caldo de carne
4 folhas de louro
4 pimentas
1 colher de sopa de pimenta preta
sal a gosto
6 quiabos
1 colheres de sopa de Yété , ( scargot ou caracois secos ) (se disponível)
1 colheres de sopa de Nététou ( camarao seco) (se disponível)
1.5L de água quente
Batata ou batata doce são opcionais

Preparo do recheio do peixe:
Misture a salsa, metade do alho, um pouco de pimenta, adicione o sal e metade de um Maggi.
Em seguida, coloque a mistura dentro dos pedaços de peixe.

Preparo do molho de tomate:
Aqueça o óleo e adicione cebola, tomate, extrato de tomate, alho e pimenta preta, fritando tudo por 15 minutos em fogo médio.
Em seguida, adicione o peixe no molho de tomate.
Adicione o caldo de carne (ou Maggi), as folhas de louro e 1 xícara de água, e deixe até o peixe estar bem cozido (15 minutos).

Preparo do arroz
Retire os pedaços de peixe da panela e adicione todos os legumes, menos o quiabo, com uma xícara de água, deixando cozinhar até o ponto ideal (aproximadamente 30 min). Veja para não cozinhar nem pouco nem muito os legumes. Depois, tirar os legumes e colocar o quiabo na água por 5 minutos e tirar ele.Hora de adicionar o arroz. Cozinhe o arroz em fogo baixo, virando muitas vezes o Thieboudienne para que todos os lados fiquem bem cozidos.
Quando estiver pronto, coloque o arroz no prato com os legumes e o peixe por cima. O melhor jeito para servir e também o mais clássico é em um recipiente único. Assim todos comem do mesmo prato!

Simone Chen

Simone Chen

Missionária da Primeira IEQ

Missões, Origem e propósito

Quando se ouve o termo missões, dificilmente alguém não o remete ao cristianismo, por mais que atualmente essa palavra seja aplicada a outros contextos. Qual é a origem e o propósito de missões?

Missões é uma ideia que começou no céu. O primeiro a ter uma ação missionária foi o próprio Deus. Quando o Criador contemplou a obra prima de Suas mãos pecando contra Ele, distanciando-se dEle e em um caminho de autodestruição, compadeceu-se do ser humano e estabeleceu a Sua ação missionária para salvá-lo.

Nesse momento, Deus enviou Seu missionário, o Seu próprio Filho Jesus Cristo. Jesus veio para morrer pelos pecados da humanidade e, assim, salvar a todo aquele que nEle crê. O seguinte texto das Escrituras nos traz uma visão clara desta obra missionária divina: “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16).

Qual é a missão que Jesus, o maior de todos os missionários, deu aos Seus seguidores? Ele disse: “Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas” (Marcos 16.15). A nossa missão não é a de salvar, mas a de anunciar o Evangelho do único que pode salvar, Jesus Cristo. Ele, Jesus, afirmou: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim” (João 14.6).

Diante disso, quero fazer dois convites. O primeiro é para você que ainda não recebeu o Filho de Deus, Jesus como seu único Salvador e Senhor; convido você  para que, em oração, O receba e viva com Ele todos os dias da sua vida. O segundo convite é para você ser um missionário anunciando o Evangelho de Jesus Cristo, o maior de todos os missionários, para todos aqueles que ainda não O conhecem.

PR. SILAS ZDROJEWSKI

PR. SILAS ZDROJEWSKI

Mestre em Teologia pela Faculdade Batista do Paraná, copastor e líder de GP, na primeira IEQ, casado com Carmen Silvia Zdrojewski, pai de Eduardo Neto e Vanessa Silva.