Confiança e Integridade Nº43

1) Quebra Gelo

  1. Como você pode avaliar a sua confiança?
  2. Você estaria apto a ser avaliado nesse momento sobre suas atitudes?
  3. Aonde você gosta de estar?

2) Entendendo a Palavra

Salmos 26

“Faze-me justiça, Senhor, pois tenho vivido com integridade. Tenho confiado no Senhor, sem vacilação.Sonda-me, Senhor, e prova-me, examina o meu coração e a minha mente;(…). Eu amo, Senhor, o lugar da tua habitação, onde a tua glória habita. ”

O Salmista se apresenta diante de Deus confiante, para uma avaliação. Isso mesmo, ele entende que está apto a ser examinado por Deus em sua integridade, corpo, alma e espírito. Entende que está andando de forma correta pois não se ajunta com pessoas más. Preocupa-se e suplica para que ele não seja confundido com essas pessoas. Sua felicidade não está associada com as coisas do mundo, mas sim, de estar na casa de Deus (leia todo o Salmo, especialmente os vv. 4,5,9 e 10), onde a sua presença se manifesta entre o seu povo e onde habita a sua glória, bem como estar junto dos irmãos na fé, que andam na verdade divina.

3) Aplicando a Palavra

  1. Podemos enumerar os locais onde a glória de Deus se manifesta?
  2. Podemos confiar na possibilidade de sermos examinados por Deus em nossas atitudes e em pensamentos diariamente?
  3. Em que pontos da nossa vida precisamos crescer espiritualmente e emocionalmente.

4) Desafio a Vivenciar

Numa leitura superficial desse texto bíblico podemos ser levados a acreditar que Davi estava se achando o cara quando escreveu esse Salmo. Uma vez que ele se coloca à prova de Deus, pedindo que o criador o examine não só em suas atitudes como até mesmo em seus pensamentos. Hoje em dia é mais fácil de comentarmos o texto pois conhecemos alguns dos pecados de Davi e sabemos que ele teve seus altos e baixos. No entanto, quando buscamos a santidade e nos colocamos diante de Deus expondo a ele todos os nossos pecados, principalmente aqueles que nos envergonhamos tanto, somos perdoados e curados emocionalmente. Nesse Salmo, Davi faz uma distinção entre justos e ímpios, mas nos importa entender é que essa distinção está na permanente caminhada com pessoas que não tem uma boa conduta, e não na necessidade de buscarmos esses perdidos e apresentar o plano de Deus para suas vidas, pois Jesus nos ordenou a fazer discípulos, ensinando-os a obedecer tudo que ele nos ensinou. 

Algumas características de Davi poderiam nos incentivar a trilhar um caminho de bênção nos dias de hoje. Primeiramente devemos abrir o nosso coração, a nossa alma diante de Deus e colocar para ele tudo que nos impede de viver uma plena comunhão com Deus, nosso Pai. Em seguida, buscarmos andar em lugares onde há expectativa de vermos a sua glória se manifestando. Hoje em dia, as opções de caminhos que nos são oferecidos a trilhar nem sempre nos dão a possibilidade de ver a manifestação da Glória de Deus. As vezes perdemos tempo com muitas coisas que não edificam e ao contrário, prejudicam a nossa intimidade com o Pai. Davi teve seus erros, mas evitava andar com más companhias e reconhecia, clamava e amava viver na casa do Pai.

FAÇA O DOWNLOAD

A soberania do nosso Criador (Sl24) Nº41

1) Quebra Gelo

1)Quem pode ter comunhão com o Criador? Em sua opinião,  há requisitos necessários para que possamos estar em Sua presença?

2) Entendendo a Palavra

O Salmo 24 começa relacionando a soberania de Deus: nos primeiros dois versículos vemos que a Ele pertence a Terra e tudo que nela existe, ao nosso Criador. Mas qual o significado de soberania? É a superioridade derivada de autoridade, domínio, poder; não é delegável nem renunciável; autoridade máxima, suprema.
   A partir do momento que reconhecemos a existência e a soberania do nosso Criador, devemos buscar conhecimento de Deus e da Sua vontade. Mas há condições ou requisitos para se ter comunhão com o Deus todo poderoso?
   O salmista faz essa reflexão no terceiro versículo: quem poderá subir ao monte do Senhor? Quem entrará no seu Santo lugar? A princípio essas perguntas podem ser frustrantes porque, de fato, todos pecamos e fomos destituídos da glória de Deus (Rm 3:23).
  A resposta no verso quatro é: aqueles que tem as mãos limpas (atitudes) e o coração puro (pensamentos e intenções). Todavia, os limpos e puros aqui não são aqueles que se auto purificam, mas aqueles que são purificados e ter seu coração transformado como na profecia de Ezequiel (Ez 36: 25-27). Aqueles que receberam a Cristo e buscam ao Senhor são os que foram purificados, regenerados, justificados, salvos pela graça e, somente pela graça. 
   Até aqui vemos que Deus é o criador, os homens são pecadores, o justificados podem estar diante de Deus pela obra de Cristo. Ao final do versículo seis temos uma pausa, a divisão entre o antes e o depois. Isso porque o versículo sete narra o retorno em glória do Salvador Jesus Cristo. O Rei vitorioso recebido com toda honra pelo seu povo. Essa é a consumação dos séculos, em que os remidos e justificados estarão vivendo ao lado do Deus todo poderoso, Criador dos céus e da Terra, Rei da Glória.

4) Aplicando a Palavra

1)Você reconhece a existência e a soberania de Deus em sua vida?


2)Pense sobre tentações e dificuldades que enfrenta e tentam te impedir de ter “mãos limpas e coração puro “. Você tem buscado enfrentá-las/corrigi-las com auto purificação ou pela busca da face e graça de Cristo?

5) Desafio a Vivenciar

Não ensinamento do Novo Testamento, cada pessoa que se converte ao Senhor é templo onde Deus habita. Devemos manter os portões do nosso coração sempre abertos para receber constantemente a purificação do Soberano Criador, do Rei da Glória.

.

Equipe de Coordenação dos GPs

FAÇA O DOWNLOAD

ARREPENDIMENTO E CRESCIMENTO Nº40

1) Quebra Gelo

NÃO FUI EU! É a declaração  mais comum quando se aborda um grupo de crianças diante de um erro. Sempre tentam se esconder ou jogar a culpa no outro. 

Assim acontece também com os adultos?

Por que é tão difícil para o homem assumir seus erros?  

2) Entendendo a Palavra

Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia.Pv 28:13

Precisamos reconhecer nossa condição de dependência de Deus para nossa transformação, e do sangue de Jesus para o nosso perdão. E o primeiro passo para isso é confessarmos nossos pecados. O temor da confissão está ligado ao medo da punição, repreensão e exposição pública, numa relação direta com nossa reputação. Por isso temos receio de admitirmos um erro publicamente, mas quando confessamos nossos pecados a Deus, percebemos o quanto é libertador deixarmos para trás o pesado fardo de coisas erradas que fizemos. E assim entendemos que, da mesma forma, em nossa vida pública muitas vezes temos de reconhecer que erramos, mas mesmo que isto venha a “prejudicar nossa imagem”, o mais importante é estar em paz com nossa consciência e aprender a lição. Não se preocupar tanto com as conseqüências, mas sim com a reparação do fato e com a mudança positiva que isso trará.

Quanto aos nossos pecados, estejamos certos de que o perdão e a misericórdia de Deus estão à disposição de todos os que se achegam a Ele arrependidos: “Tu não rejeitarás um coração humilde a arrependido.”  (Salmo 51.17)

A Palavra nos diz que quem procura negar seu pecado, ignorá-lo ou mantê-lo encoberto ao invés de reconhecê-lo e confessá-lo a Deus, não alcança a prosperidade. Isso se aplica para todas as áreas de nossa vida, mas especialmente na área espiritual. Precisamos admitir nossos erros, confessá-los a Deus, analisá-los e descobrir o que podemos fazer para que não ocorram novamente. Todos cometemos erros, mas somente os tolos os repetem. Além disso, admiramos pessoas que admitem seus erros voluntariamente, pois as vemos como pessoas fortes e sábias, que sabem que não estão sempre certas. É assim que alcançamos a misericórdia de Deus, quando admitimos que erramos, estamos arrependidos e não queremos mais repetir este erro

4) Aplicando a Palavra

. 1- Quais erros geralmente somos capazes de assumir? 

Apenas aqueles que não comprometem nossa imagem? 

5) Desafio a Vivenciar

Entender que vale mais ser humilde e sincero com Deus do que mostrar uma imagem santa diante dos homens, pois é Jesus quem nos perdoa e transforma.

Confessar nosso pecado é um ato de humildade e Deus se alegra com isso, Ele espera isso de nós.

Equipe de Coordenação dos GPs

FAÇA O DOWNLOAD

Verdades Distorcidas Nº39

1) Quebra Gelo

Cite algo sábio que você ouviu de alguém , que te marcou.

2) Entendendo a Palavra

(Pv: 3.5-8)

Como ramo de espinhos nas mãos do bêbado, assim é o provérbio na boca do insensato.
Pv:  26:9

Este versículo parece difícil de ser compreendido, mas traz uma grande lição. Se alguém manuseia uma rosa e se fere com um espinho, ficará mais alerta a fim de não se ferir novamente com os outros. Uma pessoa alcoolizada não sentiria o espinho e ele penetraria ainda mais em sua carne, fazendo-a sentir mais dor quando o efeito do álcool passasse. Muitas pessoas alcoolizadas ou sob efeito de drogas podem se ferir ou ferir a outros, e até mesmo matar ou morrer, por não estarem perceptivas às consequências de seus atos. Da mesma forma, uma pessoa que não possui sabedoria pode não perceber as conseqüências de uma palavra ou atitude, causando danos a si mesma e a outras pessoas, como por exemplo em seu trabalho, seu casamento ou sua família. Palavras sem sabedoria podem trazer ainda confusão e induzir a erros. Pessoas altamente

influenciáveis, que não avaliam os “conhecimentos” que recebem, acabam passando para a frente fatos ou ideias distorcidas, que por sua vez irão influenciar a outros, e assim por diante, gerando ideologias totalmente equivocadas. É por esta razão que devemos buscar a sabedoria de Deus em nossas palavras,em nosso agir e até mesmo em nossos pensamentos. Todo o conhecimento que recebemos e a inteligência que temos de nada valem se não houver sabedoria para utilizá-los. “E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.”, nos diz Lucas 2.52.  Se queremos encontrar graça diante de Deus e dos homens, e influenciar positivamente as pessoas com palavras e ações verdadeiramente sábias, devemos buscar a Jesus e a Sua salvação, para nós e nossos queridos. 

Em 2 Timóteo 3.15 lemos que “[…] as sagradas Escrituras, […] podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus”. Ou seja, sem fé em Cristo não há salvação, e quando entendemos isto somos verdadeiramente sábios. 

4) Aplicando a Palavra

Devemos refletir sobre as informações que recebemos antes de repassá-las.

Devemos refletir sobre nossas palavras e atitudes e suas consequências na vida de outras pessoas.

5) Desafio a Vivenciar

Saber discernir entre a verdadeira sabedoria e as falsas ideologias.

Equipe de Coordenação dos GPs

FAÇA O DOWNLOAD

Enfrentando as dificuldades Nº38

Tema   

1) Quebra Gelo

  1. Você teve uma grande dificuldade durante esta semana ou nos últimos tempos? Compartilhe.
  2. Quando surge o momento de dificuldade qual é realmente a  minha primeira atitude?

2) Entendendo a Palavra

 Se você vacila no dia da dificuldade, como será limitada a sua força!
Provérbios 24:10

Vacilar é oscilar, enfraquecer, hesitar. A Bíblia nos ensina que nos momentos de dificuldade devemos ser firmes, para que nossa força seja ampliada. Para sermos firmes devemos ser sólidos e constantes. Quando reclamamos diante dos problemas, acabamos por nos enfraquecer, pois nossas próprias palavras nos desanimam diante das

adversidades, isso quando não desanimam outras pessoas próximas a nós. Devemos reservar nossas energias para orar e encontrar uma solução ao invés de reclamar dos problemas. Podemos ainda lembrar que as dificuldades que enfrentamos hoje podem servir como um treinamento que nos fortalece para situações mais difíceis que possamos enfrentar no futuro.

Jesus, diante de todas as tentações e desafios que enfrentou, inclusive a sua morte, permaneceu firme em sua fé. Não lemos na

Bíblia sobre Cristo reclamar de seus problemas, ao contrário, Ele sempre estava preocupado com os problemas dos outros e procurava

ajudá-los, curando-os e consolando-os. Habitualmente se retirava para orar e buscar a Deus, a fonte de sua força e sabedoria. Por esta razão foi firme até o final, até cumprir o seu propósito de dar sua vida por nós. Jesus deixou muitos versículos para nos orientar em como

devemos lidar com os problemas. Em João 16.33, diz: “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” Quando depositamos nossa confiança em Cristo, podemos ter paz mesmo diante das dificuldades.

 4) Aplicando a Palavra

  1. Tenho me mantido forte diante das dificuldades que surgem em meu dia-a-dia?
  2. Tenho buscado em Jesus a força e a sabedoria para enfrentar os problemas e assim ter a Sua paz em todas as áreas de minha vida?

5) Desafio a Vivenciar

Entender que as dificuldades podem ser úteis, nos mostrando quem realmente somos e nos levam ao amadurecimento.

São nesses momentos de dificuldade que colocamos nossa confiança em Deus em ação.

Precisamos aprender que nesses momentos de lutas, crescemos  e esse momento torna-se um aprendizado para nossas vidas.

FAÇA O DOWNLOAD