SITE

DIÁSPORA CRISTÃ

Como a saída dos cristãos de Jerusalém no Século Primeiro, influenciou o mundo?

Num sentido mais restrito, as Boas Novas (evangelho), trazem ao indivíduo sensação de prazer, pois, afinal quem gosta de receber más notícias? Num sentido mais amplo, a comissão de Deus por intermédio de Seu Filho, traria a quem a ouvisse o êxtase da certeza de que tudo é muito maior do que a vida passageira dessa Terra. A esperança e a certeza de mãos dadas e impressas nas palavras do mestre Jesus, alcançaria o momento, local e a vida nesse planeta em épocas distantes.

Pensais que é à-toa que o calendário fixa o nosso tempo em antes e depois de Cristo? A ordem de Cristo em MT 28: 19 encontra paralelo no que Ele falou ainda no céu, e deixou registrado em Jeremias 1: 7,8.

Portanto, como ficar em um lugar se Deus queria a verdade divulgada em todos os continentes? A perseguição perpetrada contra os recém convertidos ao Cristianismo pelos líderes judaicos e pelo Império Romano, desencadeou a saída dos cristãos para o mundo (diáspora cristã), e, o consequente cumprimento da Vontade Divina: At 1:8 “… e ser-me-eis testemunhas em toda a Judéia…”. Através do principal evangelista (Paulo), o evangelho e a Graça de Deus chegaram ao ocidente, ao novo mundo, e por outros à Ásia leste, Oceania e África.

A Verdade trouxe e traz transformações em todas as áreas físicas e humanas. Influenciou a arte, agricultura, comunicação, transporte, desenvolvimento relacional entre povos, ciência, economia entre outras.

Não se trata de olhar o mundo no estágio atual sob a ótica apenas da história. Povos nos quais Cristo estava presente, o binômio social/ciência, deu passos largos em contraposição, por exemplo, ao período da chamada “noite dos dez séculos”.

ONDE DEUS ESTÁ, PROSPERIDADE HÁ!

Boas Novas levam alegria e paz extensíveis à eternidade.

O Cristianismo partindo do Oriente médio atinge o mundo ocidental, promovendo desenvolvimento artístico, com o renascimento; desenvolvimento tecnológico com a revolução industrial, econômico com o descobrimento dos continentes, exploração do solo e comércio internacional.

Forçoso nos é pensar que tais atividades já eram desenvolvidas desde a época do GÊNESIS, entretanto, numa escala praticamente manual até o século XIV. Hoje a economia está encravada no “mundo globalizado”. Porém, tudo o que acontece nele está debaixo do controle de Deus, inclusive os desmandos gerados pelo próprio homem que já está pagando o preço pelos mesmos. 2 Cr 7: 14 – Deus sara a terra, pelo cumprimento das condições ali mencionadas.

As variantes econômicas dos setores primário (indústria), secundário (comércio) e terciário (serviços), dependem da Graça de Deus, que é quem dá a chuva, o solo, controla clima e concede riquezas, MT 5: 45. Ele, contudo, opera em corações abertos para Ele. Infelizmente o afastamento de Deus conduz pessoas, grupos, países, ao objetivo único do ganho de riquezas desmedidamente, causando escravidão aos próprios cidadãos, humilhação, fome, pobreza e destruição do meio ambiente.

“Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que Ele escolheu para Sua herança.” Sl 33: 12.

Ao homem foi dado gerir o planeta, que é um bem de Deus e necessário para a vida desse mesmo homem, para fazê-lo de forma adequada, Divina, e assim experimentar a explosão de arte do Deus Criador em todas as suas formas.

Há economias no mundo extremamente abastadas, resultantes das verdades divinas aceitas e absorvidas, e por isso Deus abençoou. Outras são prósperas porque são vindas de culturas antigas e pautadas em princípios do bem e respeito. Outras há em que Deus não achou lugar e assim enfrentam dificuldades extremas.

É INEGÁVEL, BOAS NOVAS SÃO TRANSFORMADORAS!

A mensagem de Deus continua a ser a mesma: “… Amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei”- JO 15: 12. É dever cristão levar a Verdade para que todos nesse planeta experimentem qual a diferença entre os que servem a Deus e os que não servem a Deus – Ml 3: 18.

Essa Verdade é para todas as nações, territórios, enclaves, ilhas em toda a Terra. JO 18: 37. Deus quer abençoar as pessoas e nações, mas o fará à medida que esses se voltam para Ele e colocam Jesus como Seu Salvador. Para aqueles que se opõe a Jesus conforme bem menciona o Sl 2, receberão a afronta de Deus e … “e lhes falará na Sua ira e no Seu furor os confundirá…”. Deus opera a Sua justiça para o bem ou o mal, contudo a Sua justiça é sempre fiel. A percepção desse bem e mal é do homem.   

A Paz de Deus, Salvação e prosperidade em Jesus Cristo a todos os povos; a “DIÁSPORA” continua.

João Luiz Cavichiolo

João Luiz Cavichiolo

Bacharel em administração de empresas e gestão pública pela UFPR, obreiro credenciado desde 1976, professor do CVQ (Centro Vocacional Quadrangular) por 29 anos nas cadeiras de pentateuco e panorama bíblio, professor da Escola Bíblica da Primeira IEQ Curitiba há 46 anos, casado com Norma Luiza Lau Cavichiolo, pai de quatro filhos e avô de cinco netos.

Share this post