03-sacerdotes

O Sacerdócio do Lar

Chegou o grande dia tão planejado pelos noivos! Uma linda cerimônia, borboletas no estômago, sorriso de orelha a orelha com o objetivo de formar uma família, tornando-se uma só carne. Lembro-me muito bem do dia do nosso casamento! Parecíamos dois adolescentes casando, novinhos, mas muito felizes. Um dos comentários que o Jhow compartilhou comigo eu nunca vou esquecer, disse que estava tão nervoso que sua boca estava muito seca, e que quando sorria, seus lábios grudavam na gengiva e  ficava com os dentes todos a mostra parecendo um cachorro raivoso. Sem dúvida, uma cena bizarra.

Todo esse nervosismo mesclado com alegria tem um porquê, afinal, depois que nos tornamos uma família, descobrimos que novas funções seriam desempenhadas, e com a vinda dos filhos, o papel de cada um se tornaria ainda mais evidente.

Hoje, vou compartilhar sobre qual a responsabilidade do homem em seu lar.

Prover o alimento e proteção, descobrimos na escola que, desde a Era Paleolítica, essas eram principais funções. E sabe, Deus deixou Adão como responsável para administrar e cuidar do jardim (Gn. 2.15). Homens, preciso contar um segredo: toda esposa tem o anseio de se sentir protegida e amada, nutrida não apenas fisicamente e emocionalmente, mas a principal função é a de prover o cuidado espiritual, através do sacerdócio.  Sim, essa função é do homem! Ser o sacerdote do seu lar. É aquele que leva sua família para mais perto de Deus, que ora, ensina e mostra o caráter de Cristo em suas ações. Todo pai é chamado para sua função sacerdotal. Cada brinquedo que entra aqui em casa é orado e consagrado a Deus, e esse discernimento veio do nosso sacerdote. A provisão espiritual, os limites relacionados aos conteúdos assistidos, e tempo em determinadas atividades, confesso que são ditados pelo Jhow.

Graças a Deus tenho em casa um grande sacerdote, que é um homem de oração, temente a Deus, que não só traz a caça para casa, mas o rolo (Ez. 3), a escritura para nossa vivência diária, através do ensino bíblico e valores para nossos filhos, a repreensão e educação quando erram e o amor e cuidado através de seus abraços de urso e momentos divertidos no universo dos heróis que vivemos.

Pai é aquele que não só participa, mas tem o senso de estimular.  Sua função não está apenas no cuidado das notas, mas também em deixar as escrituras mais interessantes. É aquele que ora e ministra ao coração de seus filhos, que reveste em oração e se posiciona nesta batalha espiritual que é cuidar de sua família.

Filhos são reflexo de seus pais, e ao assumir o sacerdócio, ele se torna uma referência de vida (sim, também com seus erros, afinal estamos tratando de um ser de carne e osso). Esses dias, o Samuel compartilhou com a minha sogra que ele gostaria de comprar uma “fantasia” de pastor. Ela perguntou como era essa roupa, e ele descreveu exatamente o terno do Jhow quando serve ceia e, ao final, revelou o seu desejo de ser como seu pai no futuro.

Já secamos muitas lágrimas da nova geração pela ausência e falta de cuidado de seus pais. Para eles, ter um sacerdote em seu lar é uma realidade muito distante. E sabe, ser sacerdote é uma grande responsabilidade, e que quando exercida pelas próprias forças, se torna um grande fardo. Quando essa função é vivida em Jesus, tem como resultado uma vida com propósito e o senso de deixar um legado para nova geração.

Deus quer despertar pais que nunca assumiram sua função de sacerdote, nós mães já temos a nossa função, e amamos ver nossos maridos em ação. Somos diferentes e nos completamos em nossas diferenças.

Meu anseio é de ver pais assumirem seus papéis, cuidando, protegendo e mostrando Jesus através de suas vidas, auxiliando os seus filhos para estarem juntos no grande acontecimento, as bodas do Cordeiro.  Em Cristo, essa responsabilidade é mais leve, pois é compartilhada com Jesus o sumo sacerdote, o melhor exemplo de todos. NEle, todo medo de fracasso, toda ausência e falta de amor é transformado. Basta se dispor, vestir as vestes sacerdotais e entrar em ação.

Rebecca Braghini

Rebecca Braghini

Pastora em tempo integral desde 2012 na Primeira IEQ. Graduada em Teologia pela Faculdade Kairos e em Design de Interiores pelo Centro de treinamento CEPDAD. Junto com seu esposo, Jhonathan Braghini, lidera o @junieqoficial - Ministério de Juniores e são coordenadores da região 659, além de estarem à frente do Conexão e dos Jovens casais. Mãe de dois meninos incríveis, Samuel e Theo.

Share this post