03-sacerdotes

Somos todos Sacerdotes?

A resposta para essa pergunta é: depende. Mas, se o questionamento for: Deus deseja que todos sejamos sacerdotes, a resposta é sim. Muito embora, no tempo da Lei Mosaica, apenas a tribo de Levi exercesse a função sacerdotal; Deus já anunciava a Sua vontade de que todo o Seu povo desempenhasse esse ofício: “vocês serão para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa” (Ex 19.6).

O sacerdote cumpria várias funções. Ele intercedia pelo povo, colocando as suas causas diante Deus; ensinava a verdade divina; ajudava as pessoas a se aproximarem do Senhor, cultuá-Lo e a desenvolverem um relacionamento com Ele. Os sacerdotes eram responsáveis por viabilizar toda a estrutura de culto, para os que viessem ao templo, com o objetivo de honrar o Todo Poderoso.

Após a vinda de Jesus ao mundo e Sua morte na cruz, o caminho para Deus foi aberto a todo aquele que crê em Cristo como o seu único Salvador. Jesus tornou-se o grande Sumo Sacerdote, o sacerdote dos sacerdotes, que abriu o caminho para Deus. Assim, como no Antigo Testamento havia um sumo sacerdote e vários outros sacerdotes, no Novo Testamento há um único Sumo Sacerdote que é Jesus; e os outros que são os Seus sacerdotes. Esses estão a serviço de Cristo e ajudam as pessoas a encontrá-Lo. Diante disso, o que é preciso para ser um sacerdote?

Em primeiro lugar é necessário que se tenha uma experiência pessoal com Cristo. Para o exercício de um sacerdócio efetivo é requerido, não apenas, um saber teórico sobre Jesus, mas um conhecimento experimental dEle. Há pessoas que conhecem a história de Jesus, mas não conhecem o Jesus da história.

De igual forma, é imprescindível assumir a identidade que Deus, por meio de Sua Palavra, entrega a todo o que crê em Cristo. A Escritura diz: “Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1 Pedro 2.9). Nós somos o que a Bíblia diz que somos. Portanto, somos sacerdotes do Senhor.

Um dos ofícios mais importantes do sacerdote é interceder. E isso significa advogar, defender, colocar-se no lugar de alguém e falar por ele em determinada situação. A Bíblia diz que o sacerdote era designado para representar as pessoas em questões relacionadas com Deus (Hb 5.1). Nos últimos meses, tivemos na Primeira Igreja do Evangelho Quadrangular de Curitiba, os nossos Cultos e Reuniões dos Amigos. Esses momentos foram precedidos pela oração de muitos, que investiram tempo em intercessão, para que seus amigos fossem tocados por Deus; abençoados e alcançados por Sua graça.

Temos, também, o Movimento Mães que Vão Além; no qual, muitas mães têm intercedido diante de Cristo a favor de seus filhos. E, para a glória do Senhor, já temos ouvido muitos testemunhos das respostas dessas intercessões.

Um sacerdote é alguém que tem um alto compromisso com Deus; portanto com a Sua Palavra. E, assim, busca ensiná-la a outros. A função sacerdotal deve ser exercida não só no templo, mas também em casa, no trabalho, no lazer, e em todos os lugares em todo o tempo. Alguns alegam que não têm o preparo necessário para poder falar com alguém a respeito das Escrituras. Contudo, se houver um compartilhamento daquilo que se sabe, será de grande valia e falará ao coração daqueles que receberem a mensagem. Prova disso foi a especial disposição das pessoas que tomaram os cartões de acompanhamento e decidiram lê-los e estudá-los com os seus amigos. Aqueles que assim o fizeram e, ainda, o fazem, podem dizer: Sim, eu sou um sacerdote! E você, tem sido um sacerdote?

Se todos os que leem este texto são sacerdotes, eu não sei. Mas, sei que todos podem, sim, ser sacerdotes; pois é isso que a Palavra de Deus nos indica.

PR. SILAS ZDROJEWSKI

PR. SILAS ZDROJEWSKI

Mestre em Teologia pela Faculdade Batista do Paraná, copastor e líder de GP, na primeira IEQ, casado com Carmen Silvia Zdrojewski, pai de Eduardo Neto e Vanessa Silva.

Share this post