03-Andri--vivendo-com-ele

Vivendo com Ele – Andrielle Prussak

Foram alguns anos realizando exames, uma internação após  32 episódios de melena (hemorragia intestinal que se caracteriza pela presença de sangue nas fezes do indivíduo) em um único dia, e então veio o diagnóstico, doença celíaca. Doença autoimune, causada pela intolerância ao glúten e que afeta o intestino. Sentia desgaste físico com fadiga excessiva, abdômen distendido, dores articulares e frequentes episódios de diarreia. Acabei desenvolvendo perda óssea e alguns pólipos intestinais, com o agravante da endometriose. No dia do diagnóstico me assustei, pois sabia que minha rotina alimentar iria mudar e isso também acarretaria mudanças nas rotinas  de minha família. 

Começamos por realizar uma descontaminação de utensílios domésticos e também a doação da maior parte, ficamos quase sem nada na cozinha. Eu tinha como ambiente seguro somente minha casa, quando chegavam em casa meus filhos e marido primeiramente passavam pelo lavabo para uma higienização para depois podermos nos abraçar e cumprimentar.  

Mesmo com todos estes cuidados eu continuava passando mal, os sintomas e também os exames confirmavam que a doença não havia se estabilizado. Sempre levava minha marmita quando saía. Algo que me chateava era não poder compartilhar a Santa Ceia, haviam também outras pessoas com o mesmo problema e isso foi amenizado com a opção de pães sem glúten.

Fui profundamente ministrada com relação ao meu Grupo Pequeno, o cuidado deles para comigo foi muito marcante, foram atrás de informações profissionais e produtos seguros para mim, para compartilharmos em nossas reuniões. Eu vejo aí uma demonstração de integridade, essa preocupação em me receber com amor e oferecer o melhor, me senti muito amada.

Recebi muita oração da igreja, fui ao Encontro com Deus e lembro que recebi a oração da pra. Carmem sobre meu abdômen, declarando a vida e a saúde. No encontro de mulheres me colocaram no centro e cerca de 200 mulheres ministraram a cura sobre a minha vida. 

Fui aconselhada a buscar outro especialista para avaliar minha situação, visto que meus sintomas já não eram tão presentes e começava a me sentir melhor. Com a ajuda da igreja, até mesmo através de ofertas, consegui marcar a consulta com uma profissional de grande reconhecimento. Levei todos os meus exames já realizados e ela me confirmou que os resultados indicavam o diagnóstico de doença celíaca, mas era preciso fazer novos exames para uma avaliação atualizada.  Realizei esses exames e me sentia cada vez melhor. No dia da entrega dos exames a notícia que recebi foi que não tinha mais a doença celíaca, eu estava curada!  Glória a Deus! Eram as únicas palavras que conseguia pronunciar naquele momento, tão grande era minha alegria e gratidão.

Foram nove meses entre o diagnóstico e a cura, louvo a Deus porque foi um tempo de aprendizado, de amor, de oração, de ministração e posso declarar que foram dias que o Senhor Jesus continuou a reinar em minha vida. Exemplo maior de integridade, o mesmo ontem, hoje e eternamente.

Para comemorar, a primeira coisa que entrou em casa foi um delicioso pão francês, e lá estávamos nós, em lágrimas, compartilhando esta grande vitória. Glória a Deus por isso.

Share this post